Como Respondeu?

“Perdoar aos inimigos é pedir
perdão para si próprio; perdoar
aos amigos é dar-lhes uma prova
de amizade; perdoar as ofensas é
mostrar-se melhor do que era.”
(Alan Kardec, E.S.E. Cap.X, ltem 15.)

À hora de cólera, você exclamou: “Vingar-me-ei!”

E perdeu uma feliz oportunidade de exercitar o perdão.

*
Escarnecido pela ignorância, você retrucou: “Infeliz perseguidor!”

E malbaratou o ensejo de iluminar em silêncio.

*
Esbofeteado pela agressividade da intolerância, você reagiu: “Nunca mais terás outra ocasião de ferir-me!”

E desperdiçou a lição do sofrimento.

*
Dominado pela preguiça, você justificou: “Amanhã farei a assistência programada.”

E esqueceu que agora é a hora da ação editicante.

*
Acuado pela perseguição geral, você indagou: “Por que Deus me abandonou?”

E não enxergou a Divina Presença na linguagem do testemunho que lhe era solicitado.

*
Aturdido pela maledicência, você desabafou: “Ninguém presta!”.

E feriu, sem motivo, muitas almas boas ,generalizando a invigilância e a crueldade.

*
Esmagado pela pobreza, você inquiriu: “Onde o socorro celeste?”

E atestou o apego às coisas terrenas.

*
Ante a felicidade aparente dos levianos, você disse: “Só os maus vencem!”

E desrespeitou a fé cristã que você vive, inspirada na cruz de ignomínia onde Ele pereceu.

*
Ao impacto de acusações injustas, você baqueou: “Estou perdido!”

E não se recordou d’Aquele que é o nosso Caminho.

*
Entretanto, poderia dizer sempre: “Em ti confio, Senhor, e a Ti me entrego.”

E Ele, que nunca abandona os que n’Ele confiam, saberia ajudá-lo incessantemente.

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Glossário Espírita-Cristão. Ditado pelo Espírito Marco Prisco. 4 edição. Salvador, BA: LEAL. 1993.

via

 

 

Portrait_of_Ivan_I_Shishkin (1)
Ivan Nikolaevich Kramskoy, "RETRATO DE IVAN I. SHISHKIN, 1880, óleo s/tela

 

 

Anúncios

Sugestões de Amigo

“Sabe ele (o Paganismo) muito bem que
está errado, mas isso não o abala,
porquanto a verdadeira fé não lhe está
na alma. O que mais teme á a luz, que dá
vista aos cegos.”
(Allan Kardec, E.S.E. Cap. XXIII, Item 14)


Mesmo que você esteja com a razão, escute em silêncio a reprimenda injustificada.

Ouvir para examinar é oportunidade de aprendizado e experiência.

*
Mesmo que a lição lhe amargure o Espírito, receba como dádiva preciosa.

Antes uma verdade que que magoa, mas salva, do que uma ilusão que agrada e se desvanece.

*
Mesmo que você seja chamado ao debate em nome da causa que ama, desculpe-se e prossiga na ação.

Muitas palavras exaltam poucas razões.

*
Mesmo que a dor se constitua parceria única de seus labores evangélicos, prossiga resoluto.

O cinzel que fere a pedra, dela arranca a escultura valiosa.

*
Mesmo que a espada invisível da calúnia abra feridas em seu coração, continue animado.

O bem é luz inapagável.

*
Mesmo que a urna sombria do “eu” apele para que você viva somente para você, arrebente a grilheta e ajude a comunidade naquele que segue a seu lado.

A ostra mais resistente, em solidão, despedaça-se de encontro aos recifes do mar imenso.

*
Mesmo que a luta pareça inútil, confie no valor da perseverança que sabe agir.

Os pólens de uma única flor são suficientes para multiplicá-la indefinidamente, embelezando a Natureza.

*
Mesmo que o fel da amargura verta em seus lábios, cada noite, o acre sabor do desespero, desperte, no dia seguinte, abençoando a aurora.

Quem contempla uma noite de vendaval acreditará na impossibilidade de um claro sol na manhã porvindoura. No entanto…

*
Mesmo que o alarde da maledicência empane a claridade de sua luz, não revide mal por mal.

A árvore ultralada responde à ofensa com produtividade.

*
Mesmo que seus sonhos formosos de assistência fraternal e socorro cristão se transformem em pesadelos aflitivos nos dias de atividade, siga adiante, confiando intimorato.

Considerado pelos familiares, em Nazaré, como embusteiro e endemoniado, o Mestre prosseguiu no ministério da Verdade, alargando as possibilidades da Boa Nova no vergel desfeito dos corações humanos, para, na cruz, atestar a suprem a vitória do amor como única via de “luz que dá vista aos cegos” e enseja libertação para o Espírito sedento de imortalidade.

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Glossário Espírita-Cristão.. Ditado pelo Espírito Marco Prisco. 4 edição. Salvador, BA: LEAL. 1993.

via

Alberto Pasini
Alberto Pasini "NO POÇO" óleo sobre tela, 22.2 x 15.9 cm

Como Respondeu?

“Perdoar aos inimigos é pedir
perdão para si próprio; perdoar
aos amigos é dar-lhes uma prova
de amizade; perdoar as ofensas é
mostrar-se melhor do que era.”
(Alan Kardec, E.S.E. Cap.X, ltem 15.)


À hora de cólera, você exclamou: “Vingar-me-ei!”

E perdeu uma feliz oportunidade de exercitar o perdão.

*
Escarnecido pela ignorância, você retrucou: “Infeliz perseguidor!”

E malbaratou o ensejo de iluminar em silêncio.

*
Esbofeteado pela agressividade da intolerância, você reagiu: “Nunca mais terás outra ocasião de ferir-me!”

E desperdiçou a lição do sofrimento.

*
Dominado pela preguiça, você justificou: “Amanhã farei a assistência programada.”

E esqueceu que agora é a hora da ação editicante.

*
Acuado pela perseguição geral, você indagou: “Por que Deus me abandonou?”

E não enxergou a Divina Presença na linguagem do testemunho que lhe era solicitado.

*
Aturdido pela maledicência, você desabafou: “Ninguém presta!”.

E feriu, sem motivo, muitas almas boas ,generalizando a invigilância e a crueldade.

*
Esmagado pela pobreza, você inquiriu: “Onde o socorro celeste?”

E atestou o apego às coisas terrenas.

*
Ante a felicidade aparente dos levianos, você disse: “Só os maus vencem!”

E desrespeitou a fé cristã que você vive, inspirada na cruz de ignomínia onde Ele pereceu.

*
Ao impacto de acusações injustas, você baqueou: “Estou perdido!”

E não se recordou d’Aquele que é o nosso Caminho.

*
Entretanto, poderia dizer sempre: “Em ti confio, Senhor, e a Ti me entrego.”

E Ele, que nunca abandona os que n’Ele confiam, saberia ajudá-lo incessantemente.

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Glossário Espírita-Cristão. Ditado pelo Espírito Marco Prisco. 4 edição. Salvador, BA: LEAL. 1993.

via

Thomas Pollock Anschutz
Thomas Pollock Anschutz "RETRATO DE REBECCA H. WHELAN" 1910, óleo s/tela

SUGESTÕES

 


Seu triunfo e libertação dependem do esforço desenvolvido para atingir a meta que você objetiva. 
Cuide do seu íntimo – fiscalize a mente. 

No equilíbrio originário da segurança interior, surge a paz inspiradora da felicidade irradiante. 

Comece a felicidade onde sua realização felicite alguém e “guarde a calma na luta”, que “é sempre um sinal de força e confiança”.

Marco Prisco (espírito) / psicografia de Divaldo Franco
…………..

Afeiçoe-se ao conhecimento e estude sem cessar. A ignorância que se retrai deixa campo à felicidade que se expande. 

Transforme a própria fé num Evangelho de ações superiores. A maior religião e a mais necessária é aquele que, fundamentando-se na crença em DEUS, na imortalidade da alma e na Justiça Divina pelo renascimento, se converte em bênção a favor de todos. 
Fé ativa, fé consoladora – religião ideal.

Marco Prisco (espírito) / psicografia de Divaldo Franco
………….

NO ESCLARECIMENTO

Você sempre pode fazer mais pela obra de amor com que o Espiritismo honra sua vida.
A palavra que esclarece, colocada a serviço de alguém, é mensagem libertadora que felicita e enobrece.

Há dores que são apenas miasmas da ignorância, tanto quanto muitas podridões são apenas ausência de drenos. Quem esclarece drena o mal e a enfermidade.

O homem verdadeiramente, somente o é, quando se sente livre. E, para que sua liberdade seja plena, faz-se mister que esteja esclarecido. O conhecimento é o dínamo da renovação interior. 

O Espiritismo não é apenas uma mensagem de alevantamento. É a própria vida da vida em nome da Eterna Vida. 

Há corações esperando por você. Não espere por eles. A luz vem de cima. Quem está elucidado, soluciona
os enigmas para os outros. 

Jesus, padronizando as determinações da vida, retrucou à mulher que exaltava o ventre que O gerara, afirmando que mais “bem-aventurado é aquele que ouve a palavra e a pratica”, renovando a face da Terra, e o Iluminado Codificador do Espiritismo registrou: “…pois aos que não recuarem diante de suas tarefas é que Ele vai confiar os postos mais difíceis na grande obra da regeneração pelo Espiritismo.”

Marco Prisco (espírito) / psicografia de Divaldo Franco

—-
site de origem:
www.oespiritismo.com.br

 

Francisco Bayeu
Francisco Bayeu "Olimpus: A Queda do Gigante" (1764)

 

AVALIAÇÃO DE TAREFAS

 

 

 


 

Marco Prisco

 

Estabeleça um programa de periódica avaliação dos seus atos, a fim de examinar com acerto como decorre sua vida.

O tempo não pára, desenvolvendo-se dentro de uma medida harmônica, incessante.

Aprenda a usá-lo com sabedoria.

A hora se repete, dentro, porém, de outras circunstâncias.

A terra improdutiva é problema do abandono que lhe dá o proprietário.

O charco pútrido é questão de desprezo por parte do agricultor.

Examine o que você tem feito do solo do seu coração e da terra da sua mente.

Contendas e querelas refletem paixões perniciosas e ociosidade da ação.

Toda colheita responde pela sementeira realizada.

Utilize melhor a oportunidade.

Caminhos em sombra e impérvios dispensam maldições, requerendo luz e correção do piso.

A estrada fala do trânsito que suporta.

Aplique corretamente as energias.

Muita movimentação, pouca produtividade na tarefa.

Trabalhador agitado, rendimento precário.

Organize o mapa de serviços e aja com ordem.

Congele a mentira e a calúnia nos ouvidos, não as passando adiante.

As palavras insensatas ateiam lamentáveis incêndios em mentes e corações fracos.

Manipule seu tempo, objetivando rendimentos superiores.

O que você não puder fazer, evite censurar.

A crítica honesta soluciona o problema; a viciosa agrava-o.

Exercite seus sentimentos, ajudando sempre.

Os heróis e missionários merecem acatamento e respeito.

Siga-lhes os exemplos, aprendendo com eles otimismo e perseverança no bem.

A admiração que nada produz é adorno inútil.

Anote os seus compromissos diários e revise o que logrou atender, ao chegar a hora do repouso noturno. Seja exigente com seus erros e desculpe os dos outros.

O que você não pôde fazer, que o não desanime; o que você fez mal, que o não perturbe.

Avalie a sua produção e renove-se, recomeçando os deveres amanhã com o mesmo alento e disposição de hoje.

 

Marco Prisco – Beja, Portugal, 11/08/1980

(Do livro “Roteiro de Libertação”, de Divaldo P. Franco – Espíritos diversos)

 

Carl Bloch " Ressurreição de Cristo" - óleo /placa de cobre - 0,41 x 0,33
Carl Bloch "Ressurreição de Cristo" - óleo s/placa de cobre - 0,41x0,33

 

Decálogo da Vontade

 

“Todas as virtudes e todos os
vícios são inerentes ao Espírito”.
(Allan Kardec – E.S.E., Cap. IX, ltem 10)
Poupe-me à tentação, antes que me fortaleça, e eu o salvarei dos vícios futuros. Ainda sou muito jovem no equilíbrio. 

*

Conduza-me ao dever e eu o ajudarei no caminho evolutivo. Necessito de um serviço nobre para manter-me.

*

Inspire-me a caridade e eu enflorescerei as avenidas de sua alma. Tenho sede de crescimento.

*

Impila-me ao trabalho e eu expulsarei de seu lar interior a preguiça destruidora. É imprescindível que ocupe minhas horas.

*

Ajude-me na resistência, oferecendo-me a oração, e eu deixarei asseada sua casa mental. Requeiro imediato auxílio para não desfalecer.

*

Exercite-me na inspiração do bem e eu o coroarei de luz. Tenho sido servidora da indolência e preciso de renovação.

*

Procure conhecer-me com mais atenção e o farei feliz. Sou velha amiga que a indiferença venceu.

*

Conceda-me nova oportunidade, quando eu tombar, e lhe darei força desconhecida. Lembre-se de que sou vulnerável à reincidência.

*

Evite-me os embates muito rudes, no momento, e vencerei para a sua paz todas as forças negativas que trabalham contra você. Necessito de tempo para fortalecer-me.

*

Tenha paciência comigo e, juntos, chegaremos à felicidade plena. Nasci com você e nunca nos separaremos. Ajude-me e o farei livre.

* * *

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Glossário Espírita-Cristão.
Ditado pelo Espírito Marco Prisco.
4a edição. Salvador, BA: LEAL, 1993.